domingo, 19 de agosto de 2007

Churrasco de rico x Churrasco de pobre

Traje feminino:

De rico: Calça capri de cor clara da Zara ou outra grife importada, bolsas L. Vuitton, Prada. Camisetinha básica branca da Club Chocolate ou Doc Dog.
Óculos Chanel, Valentino, sandalinha rasteira da Lenny. Ela sempre chega sozinha, dirigindo o seu próprio carro.

De pobre: Mini-saia curtíssima do Hipermercado EXTRA, blusinha da C&A estampada, tamanco de madeira de salto altíssimo ou tenis de R$ 19,00 e bolinhas, óculos coloridos do camelô é claro!! piercing e anel no dedo do pé.
Muitas usam biquíni por baixo, na esperança de tomar um banho de piscina.

Traje masculino

De rico: Bermuda Hugo Boss ou Richard, camisa esporte Siberian ou Brooksfield, óculos Armani e aquela caminhonete importada maravilhosa.

De pobre: Chinelo Rider, bermuda florida ou feita de uma calça jeans cortada com a barriga aparecendo, camisa do Corinthians ou do Flamengo jogada nas costas (eles morrem de calor) e óculos de camelô na testa. Chegam de Monza ou de carona com mais oito pessoas.

A comida:

De rico: Normalmente eles não comem, quando comem é um pouquinho de cada coisa. Arroz com brócolis ou açafrão, farofa com frutas, filé de cordeiro, picanha argentina, muzzarella de búfala. Sendo que cada coisa a seu tempo e pausadamente.

De pobre: Vinagrete com aquele pãozinho de kilo, farofa com muita cebola, maionese, muita asa de frango, lingüiça, com pão de alho, costela e miolo de acém (que eles juram ser mais macio que picanha!).

A bebida:

De rico: Os homens, Chopp da Brahma ou cerveja Heineken geladíssima. As mulheres, tônica Schweppes Citrus , água Evian ou Coca-Cola Light.

De pobre: Cerveja, claro que da mais barata, em uma caixa enorme de gelo, que está sempre acabando, e o pessoal tem que fazer a famosa vaquinha para comprar mais (detalhe: no posto de gasolina mais barato).
Quem fica tonto mais rápido, bebe intercalando água da torneira.
Muita caipirinha com Caninha da Roça, Baré Cola e Guaraná Sarandi.

Prato:

De rico: Normalmente beliscam uma picanha servida num enorme prato branco liso de porcelana, taças adequadas a cada tipo de bebida: água, chopp, refrigerante.

De pobre: Ficam o tempo todo de olho na fila esperando diminuir. As bebidas são servidas em copinhos plásticos (reciclados) de 200 ml. (compra-se a quantidade exata do número de convidados) ou servem naqueles de requeijão ou geleia para os convidados mais chegados: familiares, algum cabo da PM, Corpo de Bombeiros, Escrivão da Polícia, etc..(OS VIPS).

Música:

De rico: Jack Johnson, Maria Rita, música instrumental, Lounge Music e Jazz.
Podem contratar um grupo que toca chorinho, mas com músicos formados pela Escola de Música da UFRJ.

De pobre: Aquele pagodão de pingar suor, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão e Revelação. Só CD's piratas (4 por 10,00) mídia azul. Não pode faltar o de Samba Enredo do ano. O importante é tirar a galera do chão, depois de umas 2 horas de churrasco, todos já estão dançando, independente das idades ou credos. Também rola uma batucada improvisada com panelas, tampas ou qualquer objeto disponível que emita um som (cantam de Almir Guineto até Alcione). A mulherada tira a sandália, porque não estão acostumadas, e bota a poeira pra subir.

O Churrasqueiro:

De rico: Contratado de uma churrascaria famosa. Trabalha com um uniforme impecável e traz consigo toda equipe necessária para atender todos os convidados.

De pobre: Amigo de um conhecido que adora fazer churrasco, e cada hora um fica um pouquinho pra revezar. Normalmente *é um cara barrigudo* *que fica suando com uma toalhinha na mão *(ele usa para enxugar o suor, limpar as mãos e o que mais precisar!). Adora ficar jogando cerveja na brasa para mostrar fartura!

O local:

De rico: Área coberta, com piso de granito, tem mesinhas, ombrelones e bancos da Indonésia, num lindo jardim com piscina, mas ninguém se anima dar um mergulho, pois a mesma está decorada com um lindo arranjo de flores tropicais.

De pobre: Normalmente é o fundo de quintal de algum dos amigos, a churrasqueira é aquele tipo de montar no chão, então para manter o fogo é improvisada uma lona de caminhão como cobertura, mas só para proteger a churrasqueira. Cadeiras só para quem chegar mais cedo (esses cedem o lugar para as grávidas que sempre chegam atrasadas), os demais ficam em pé, esbarrando uns nos outros e pisando no seu pé, mas não tem problema porque a maioria tá descalço. Sem esquecer o tradicional banho de chuveiro, onde os bêbados começam com a brincadeira de querer molhar todo mundo.

O Final:

De rico: Em no máximo 4 horas, cada pessoa sai em seu próprio carro. Mas saem em momentos diferentes, para que o dono do churrasco possa fazer os agradecimentos a cada um com atenção.

De pobre: Dura no mínimo 8 horas e depois que todos já estão bêbados, o dono da casa diz que tem que trabalhar cedo no dia seguinte, mas o pessoal ainda quer fazer vaquinha para comprar mais uma caixa de cerveja. Quem não tem carro é de carona ou vai de buzão mesmo. (isso sem falar nos que passam mal, vomitam e precisam curar o porre, estabacados no sofá ou no tapete, antes de pensar em ir embora e naqueles parentes e amigos mais chegados que são intimados a "dar uma maozinha" na faxina do recinto!). O pessoal que tem carro, liga o som bem alto (pagode claro!) e sai buzinando, sorrindo e gritando :
"Valeu maluco, até semana que vem” (ou seja, já garantindo a diversão do próximo fim de semana).

3 comentários:

Mauro disse...

HAHAHAHA!!É, churrasco bom mesmo é o que dá uma mesclada, né?Hahahaha

Mariana disse...

Esse texto é mto bom Bo...já tinha lido em outros lugares, mas eu sempre dou mta risada com ele.

Bjus

Angheben disse...

iNFELIZMENTE ME IDENTIFIQUEI DEMAIS COM ESSE TEXTO...CLARO QUE NO CHURRAS DE POBRE NÉ KKKKKKK


MAS CHURRAS É CHURRAS E´VARZEA PURA