segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Linguagem jurídica traduzida para os manos

Como vocês já sabem (ou deveriam saber), eu sou advogado e convivo diariamente com termos que muita gente nunca ouviu falar e quando ouve solta um: traduz?
Por isso, ao ver essa tradução de termos jurídicos para a linguagem dos manos, não pude me controlar e vou ter que colocar aqui no blog. Depois disso, quando vocês ouvirem termos como Princípio do contraditório, De cujus, comoriência, Princípio da isonomia, entre outros, não vão mais ficar com cara de que não entenderam.
E eu não vou mais precisar traduzir nada :-D

· Princípio da boa-fé, ou lealdade processual – "se vier na crocodilage, vai levá pipoco".
· Princípio da ampla defesa – "aí mano, aqui tem pra trocá".
· Princípio da oralidade – "dá a letra aí maluco".
· Princípio do duplo grau de jurisdição – "duas cabeça pensa melhor do que uma".
· Princípio da iniciativa das partes – "faz a sua que eu faço a minha".
· Princípio da inércia jurisdicional – "na boa brother, num posso faze nada".
· Princípio da isonomia – "aqui é todo mundo na humildade".
· Princípio da insignificância – "grande bosta".
· Princípio pacta sunt servanda – "quem tem cu pequeno num faz negócio com pica grande".
· Princípio da supremacia do interesse público sobre o privado – "nóis é nóis, e o resto é bosta".
· Princípio da fungibilidade – "só tem tu, vai tu mesmo" (parte da doutrina e da jurisprudência entende como sendo "quem num tem cão caça com gato").
· Princípio da publicidade – "põe na banca aí, maluco" (doutrina minoritária, "sem mocá as parada").
· Princípio da moralidade – "aí, mano, sem patifaria".
· Princípio da indisponibilidade – "ah! Agora já era".
· Princípio da formalidade dos atos processuais – "aí, vai reto senão zoa os bagulho".
· Princípio da economia processual – "num embaça, doido".
· Princípio da motivação das decisões judiciais – "vai falando que eu to ouvindo".
· Trânsito em julgado das decisões – "vai chora na cama que é lugar quenti", ou "ih, já elvis".
· Litigância de má-fé – "o mal do urubu é pensa que o boi ta morto".
· Sucumbência – "a casa caiu!!!"
· Legítima defesa – "forgô, levo".
· Legitima defesa de terceiro – "forgô com o mano leva na oreia".
· Legítima defesa putativa – "xi, foi mal".
· Oposição – "sai quicando que o barato é meu".
· Nomeação à autoria – "vo caguetá todo mundo".
· Chamamento ao processo – "o maluco ali também tá com culpa no cartório".
· Assistência – "então brother, é nóis".
· Direito de apelar em liberdade – "fui!" (parte da doutrina entende como "só se for agora").
· Princípio do Juiz Natural – "vô chama minha mãe".
· Princípio da pás de nullité sans grief – "cê faz a parada errada e qué pagá de gatinho?".
· Ilegitimidade de parte – "dá linha na pipa, mano".
· Representação na ação penal pública condicionada – "adianta o lado aí".
· Princípio contraditório – "agora é eu".
· Princípio da ação – "vamo, vamo, vamo".
· Princípio da persuasão racional do juiz – "eu tô ligado".
· Revelia, preclusão, perempção, prescrição e decadência – "camarão que dorme a onda leva".
· Honorários advocatícios – "cada um com os seus pobrema".
· Assistência judiciária – "o pouco com Deus é muito, o muito sem Deus é nada".
· Co-autoria, e litisconsórcio passivo – "é nóis na fita, mano" ou "passarinho que voa junto com morcego acorda de ponta cabeça".
· Autotutela – "vô da uma só, só pra fica esperto".
· Reconvenção – "cê é louco, mano. A culpa é sua".
· Ônus da prova – "palavra de homem num faz curva".
· Inversão do ônus da prova – "vai que é tua Taffarel".
· Comoriência – "um pipoco pra dois’ ou "dois coelho com uma paulada só".
· Jurisdição contenciosa – "é muita treta", ou ainda "o barato é loco".
· Falta de ética – "essas coisa enfraquece a amizade".
· Sucessão – "o que é seu tá guardado".
· Crimes contra a Honra – "forgô um caminhão", ou ainda, "ta tirando a favela?".
· Dignidade da pessoa humana – "nóis é pobre mais é limpinho".
· Coação ao curso do processo – "o cara tocou o foda-se", ou ainda "o cara tá pilotando todo mundo".
· Preparo – "então..., deixa uma merrequinha aí".
· Deserção – "aqui nem tem fiado".
· Recurso adesivo – "eu vou no vácuo".
· Sigilo profissional – "na miúda, só entre a nóis".
· Crime tentado – "ah, nem deu. Deixa pra próxima".
· Estelionato – "malandro é malandro, e mané é mané".
· Falso testemunho – "fala sério...".
· Inimputabilidade – "o cara é treze", ou "o cara é mó relógio".
· Obediência hierárquica – "eu num tenho nada a ver, o tiozinho que mandou fazer essa parada aqui, ó".
· Contradita – "o cara é café com leite".
· Reincidência – "porra meu, de novo?".
· Revisão criminal – "num falei que num fui eu?".
· Investigação de paternidade – "toma que o filho é teu".
· Execução de alimentos – "quem num chora num mama".
· Processo de conhecimento – "vamo ver essa parada certinho".
· Nunciação de obra nova – "cê tá zuando meu barraco aqui, doido".
· Res nullius – "achado num é roubado".
· De cujus – "presunto".
· Posse mansa e pacífica – "na bola de meia".
· Esbulho – "cheguei chegando e tá tomado".
· Despejo coercitivo – "sai fincado".
· Condução coercitiva – "num tem pinote".
· Usucapião – "tá dominado, tá tudo dominado".
· Embriaguez voluntária – "num güenta, bebe leite".
· Interdito proibitório – "num vem que num tem".
· Ato libidinoso – "quem tem dó do cu toma sopa".
· Felação – "cuspo ou engulo?". (A melhor....hauahauahau)
· Morosidade da justiça – "o barato é louco, mas a parada é lenta".
· Abertura de inventário – "e vai rola a festa... vai rola...".
· Despachar com o Juiz – "troca idéia com o maluco lá, e vê se ele adianta o nosso lado".
· Estupro – "abre a perninha aí, diou".
· Substabelecimento – "Aí, passa o BO pra outro maluco".
· Rebus sic stantibus – "O barato virô".

Nenhum comentário: