quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Cultura indígena

Um bravo indiozinho, filho do chefe Grande Cabeça Negra e Grossa
aproximou-se do pai numa manhã de radioso sol e perguntou-lhe:
- Meu pai, por que é que os nomes dos índios são tão compridos e
não são como os dos caras-pálidas que se chamam Bill, Dam ou Sam?
- Meu filho, os nossos nomes são um símbolo da beleza natural de tudo
o que acontece, e representam a riqueza da nossa cultura na sua forma de
expressão.
- Como assim?!...
- Por exemplo, a tua irmã chama-se Lua Cheia no Grande Lago porque foi
feita numa noite em que eu e a tua mãe andavamos a passear à beira dele numa
noite de luar, abraçamo-nos, beijamo-nos e o amor gerou a vida dela.
- Humm...
- Olha, o teu irmão chama-se Grande Corcel das Pradarias Imensas,
porque um dia vinha eu e a tua mãe a regressar pela pradaria, fora estava muito Sol, resolvemos descansar, abraçamo-nos, beijamo-nos e ele foi gerado.
- Ah!...
- O que queres tu saber mais, meu pequeno Camisinha Furada Vinda da China?

Nenhum comentário: