quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Coisas que nós homens não entendemos sobre as mulheres

Relação sutiã x calcinha
É comum observar em lojas de departamento que as mulheres têm o costume de adquirir em uma mesma compra dois sutiãs e cinco ou seis calcinhas. Tal relação numérica permanece obscura diante da capacidade masculina de entender tais conceitos. Usariam as garotas um mesmo sutiã por quatro ou cinco dias seguidos sem lavá-lo?

Idas em dupla ao banheiro
Analisando friamente casais amigos durante uma balada, é perceptível o fato de que as moças costumam convidar umas as outras para irem juntas ao banheiro. Mas na real o que elas fazem juntas dentro do W.C.?

Mistérios da menstruação
Enquanto algumas mulheres parecem nunca menstruar, outras possuem o hábito de permanecer de TPM durante 25 dias do mês. Mas afinal de contas, o que acontece com os hormônios dessas garotas durante esse intrigante período de suas vidas?

Depilação: a tortura pós-moderna
Ainda é difícil de acreditar que as mulheres se sujeitem a verdadeiras sessões de tortura que consistem na depilação. Seja com cera quente, cera fria ou gilete, é complicado para o homem entender como alguém consegue periodicamente participar desse tipo de ritual (apesar de todos apreciarem os resultados!).

Cuidados com os cabelos
Um homem não precisa de mais do que um sabonete comum para tirar a sujeira do cabelo. Porém, para grande parte das mulheres, o box acaba virando uma espécie de depósito de marcas e patentes de xampus, condicionadores e produtos relacionados. Mas pra quê elas precisam de tantos tipos se, no final das contas, cabelo é tudo igual?

Fascínio por sapatos
Seguindo o mesmo raciocínio utilizado no caso dos xampus, grande parte das garotas desenvolve uma relação íntima com calçados em geral. Sapatos, sapatilhas, sandálias, chinelos...não importa. Elas são fascinadas por esse tipo de peça e quando podem gastam verdadeiras fortunas adquirindo novos modelos (que aos olhos masculinos parecem desconfortáveis ao extremo). Porque?

Ojeriza e medo de baratas
Mais do que um clássico feminino, o medo de baratas ultrapassa gerações e persiste como um dos grandes males relacionado às mulheres. E a grande questão permanece: como é possível temer uma criatura minúscula que não possui veneno, ferrão, espinho ou mandíbula afiada?

Vi no Uhull, que viu lá no Acidez Mental

Nenhum comentário: